In livros resenha

Todo Dia - David Levithan




Olá pessoal!
E hoje venho lhes trazendo uma resenha MA-RA-VI-LHO-SA. De um livro que foi tipo: UAU, que experiência maravilhosa! De uns tempos pra cá admito que eu tinha comprado e colocado em um vão da prateleira porque "eu não fui com a cara da capa" - eu e minha mania de julgar um livro pela capa - e logo que comecei a ler me envolvi e o resto? Vocês vão saber agora.



"Todo dia uma nova vida. Todo dia uma pessoa diferente. Todo dia a paixão pela mesma garota."Acordo. Imediatamente preciso descobrir quem sou. Não se trata apenas do corpo - de abrir os olhos e ver se a pele é clara ou escura, se meu cabelo é comprido ou curto, se sou gordo ou magro, garoto ou garota, se tenho ou não cicatrizes. O corpo é a coisa mais fácil à qual se ajustar quando se está acostumado a acordar  em um corpo novo todas as manhãs. É a vida, o contexto do corpo, que pode ser difícil de entender.



O personagem principal se chama A, isso ai, A. Ele acorda todos os dias em um corpo diferente, é incrível porque ele consegue ter sentidos e sentir o que todas pessoas sentem de diferente, - tipo como o tom do azul é diferente para algumas pessoas. Ou até mesmo o gosto da cereja - A sente basicamente todos os dias sensações e experiências diferentes. Ele é um ser que vive uma vida diferente.

E um maravilhoso dia ele acorda no corpo de um cara de mal com a vida chamado Justin. E por um dia, só por um dia ele se depara como a vida de Justin com a namorada é chata e tensa a todos os momentos, desde o "oi", até o "tchau". A decide que irá surpreender a garota e fazer tudo que o namorado nunca fez ou nunca faria, e ele se apaixona por aquela garota chamada Rhiannon.

A cada dia que se passa ele se sente mais e mais angustiado, e tem um dia que ele está em um corpo de algum adolescente com depressão e nessa situação o que ele estava sentindo transbordou junto com o que seria um JARRO DA'AGUA de sofrimento.
Um dia A decide contar para Rhiannon quem é porque não aguenta mais se sentir dessa forma. - e claro ela pensa que ele está brincando - O ponto mais inusitado disso tudo é que genuinamente o que era pra ser uma história de amor simples, houve tantas reviravoltas que até eu fiquei desmotivado, mas quando eu menos esperava eu era surpreendido.



O livro é o que eu chamo de "pedaço do meu coração", ele impõe a realidade dos adolescentes no mundo, com tanta precisão e as palavras que ele usa para descrever os personagens e as cenas parece que foi cuidadosamente selecionadas em uma tabela de palavras.



"E, num estalar de dedos, o universo fica errado. Num estalar de dedos, toda a grandiosidade parece encolher feito uma bola e flutuar para longe do meu alcance." 



Essa é uma daquelas frases que te deixam tipo: CARA ISSO É PROFUNDO!



As definições para A, das coisas não param por ai. Se essa frase te ganhou imagine a definição do amor.



"É isso que o amor faz: que você queira reescrever o mundo. Que você queira escolher os personagens, construir o cenário, dirigir o roteiro. A pessoa que você ama senta de frente para você, e você quer fazer tudo que estiver ao alcance para tornar isso possível, infinitamente possível. E quando são apenas vocês dois a sós numa sala, você pode fingir que é assim que as coisas são, que é assim que serão."



REALIDADE.



"É tão mais fácil quando estamos falando sobre coisas reais. Não temos que ficar nos lembrando dos objetivos das coisas, porque estamos bem no cerne da questão."

A vive de incertezas e isso mexeu muito comigo, imagine só, você acordar todos os dias em um corpo diferente, não ter pais, irmãos, tios, tias, animais de estimação, e especificamente, o amor da sua vida te amar dia sim, dia não?! Imagino? Pois é. 
A reflexão que Levithan nos deixa é bem profunda, a ficção deste livro tem fatos reias, como a depressão dos adolescentes em crise. E muitas das vezes eu mesmo queria ir lá e abraçar o A.
Os personagens são TOPS, gostei muito de um nerd com um quarto infestado de produtos da Apple, e também do Xavier, são personagens muito legais em suas características em geral, mas hoje eles perderam porque o melhor personagem mesmo, foi o A, filosofando a vida sem um corpo.
Diagramação, OK! - obs: CAPA SEM COMENTÁRIOS. 



A realidade é que a classificação final fica como: FAVORITO


Autor: David Levithan
Gênero: Drama
Editora: Galera Record

Páginas: 279

Posts relacionados

4 comentários:

  1. Adorei a resenha, ficou muito bem escrita, não conhecia o livro ainda, mas me chamou a atenção;

    Beijos
    intoxicadosporlivros.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Joi. Espero que tenha a oportunidade de ler este livro, porque é maravilhoso, sinceramente. Eu tenho que admitir.

      Beijinhos de Luz!

      Excluir
  2. Eu aaaaaaaaaaaamo esse livro e já sabia que vc ia gostar!
    Eu acho a capa legal! haha
    Bjs
    http://acolecionadoradehistorias.blogspot.com
    // Tem Resenha Premiada, Páscoa Literária e Foto do Leitor rolando! //

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Desde que você me indicou e ele veio parar nas minhas mãos fiquei pensando em ler, até que li e gostei demais! hahahaha A capa é legal, só que sem comentários pq é super legal hahaha.

      Beijos

      Excluir

Obrigado pela visita! =] Volte sempre, com certeza teremos novidades quentinhas pra você!