In livros resenha

O Caçador de Pipas, de Khaled Hosseini

Título: O Caçador de Pipas
Autor (a): Khaled Hosseini
Gênero: Drama
Número de páginas: 350
Editora: Globo Livros
Skoob: Adicione
Onde comprar: Saraiva | Submarino | Livraria Cultura | Americanas

“ Publicado em mais de 70 países e com a marca de mais de 2 milhões de exemplares vendidos apenas no Brasil, o aclamado livro O caçador de pipas, romance de estreia de Khaled Hosseini, está de volta em nova edição. O romance narra a tocante história da amizade entre Amir e Hassan, dois meninos que vivem no Afeganistão da década de 1970. Durante um campeonato de pipas, Amir perde a chance de defender Hassan, num episódio que marca a vida dos dois amigos para sempre. Vinte anos mais tarde, quando Amir está estabelecido nos Estados Unidos, após ter abandonado um Afeganistão tomado pelos soviéticos, ele retorna a seu país de origem e é obrigado a acertar as contas com o passado. “

Amir e Hassan eram amigos desde que se conheciam por gente, pois até suas amas de leite fora a mesma mulher. Era uma linda amizade, só não podia dizer que verdadeira. Hassan amava Amir de uma forma que só de escrever está postagem me arrepio novamente, pois você consegue sentir a profundidade do amor. Por outro lado, Amir prezava pela atenção do pai, um garoto egoísta que nos fazia entender que “apenas gostava” do seu fiel amigo. Dentre todo esse “conto de fadas” a realidade é que Amir era rico e Hassan era apenas o filho do caseiro quais eram Hazaras – raça desconsiderada pelos afegãos, para eles eram como cachorros – já Amir era privilegiado pois era Pashtun.


Dentre vários acontecimentos que devastam nossos corações o principal foi em um torneio de pipas em 1975 que a princípio era apenas um torneio, mas Amir não poderia prever que Hassan seria violentado e isso fica marcado com culpa pela traição.

“ – Venha. Existe um jeito de ser bom outra vez – dissera Rahim Khan ao telefone pouco antes de desligar. Dissera isso de passagem, quase como uma reflexão tardia.” – Cap. 14, Pg. 185

A história se passava em 1970, período antes da guerra do Afeganistão começar. Amir e seu baba tem de fugir para os Estados Unidos e conseguem depois de muito sufoco. O garoto já está um homem, porém longe de todas as suas regalias. Seu pai começara a trabalhar em um posto de gasolina ganhando o suficiente. Entre suas conquistas e a vida que seguiu a culpa nunca o abandonava.

-X-

Verdadeiramente a culpa de Amir tinha um peso até para mim, eu podia sentir. Sabia que algo podia ou estava para acontecer e fui surpreendido pois já apesar do spoilers que ouvi sobre o livro eu não sabia de muita coisa e descobri que eram falsos (os spoilers).

O desenrolar da história foi verdadeiramente surpreendente e um livro “da Bad”, não é muito bom de lidar ainda mais até quando o personagem principal te decepciona. Claramente observei que a culpa não só pesava para Amir mais também para seu Baba qual tem muita coisa a ver com esse mistério todo.


A princípio quando a fuga foi citada, logo imaginei “agora daqui não vamos sair” e não foi bem isso que ocorreu porque o escritor soube fazer o fluxo da história correr e te fazer se sentir culpado por tudo também. Os personagens por outro lado eram misteriosos, principalmente o pai de Amir e Rahim Khan, porém o meu favorito é o Hassan com sua coragem e fidelidade. Diagramação e capa são pontos que me deixaram amando mais ainda o livro pois a pipa vermelha em relevo na capa me ganhou de uma forma positiva. Não gostei nada, nada de Amir, tudo bem que depois de grande ele quis se redimir mais o seu egoísmo em várias situações não me fez se afeiçoar a ele.

Em geral o livro nos proporciona lições de vidas marcantes, eu o definiria como um livro de lições éticas e de amadurecimentos de seus princípios. 

XÍCLASSIFICAÇÃO FINAL:





Posts relacionados

0 comentários:

Postar um comentário

Obrigado pela visita! =] Volte sempre, com certeza teremos novidades quentinhas pra você!