In livros resenha

Leon, Felipe Sales Mariotto


“Quando seu mundo se expande tão rápido que você precisa se reinventar e correr para acompanhá-lo. Quando, de repente, parece que toda a sorte resolveu te acompanhar de uma só vez. Quando os sentimentos mais ocultos afloram em explosão, no momento em que não se julga preparado. Tudo isso e mais um pouco aconteceu com o pacato Leon. Leão, para os íntimos, é filho de lavradores do interior paulista e conseguiu, por esforço próprio, uma aprovação no concorrido vestibular de Medicina da UFRJ. Trocou o campo pela viciante confusão do Rio de Janeiro e seus personagens. Logo no início da faculdade conheceu Arthur, um rico amigo que o abraçou como membro da família. Em pouco tempo, Leon foi convidado a frequentar e morar de frente para o mar, numa das coberturas mais caras da Barra da Tijuca. Tudo parecia tão fácil e perfeito, que o lado imperfeito ficou com inveja. Arthur, sua mãe e irmã – de apenas 14 anos - iniciaram um jogo de sedução particular com o belo e cativante Leon que, inseguro, se enrolava cada vez mais nas teias dessa gente dominadora. Confuso entre sentimentos verdadeiros e descartáveis, além da própria sexualidade, ele se apaixonou pelo amigo, mas vive o dilema dramático de se afastar dessa família que tanto o transformou e, por conseguinte, do próprio Arthur, com medo que este descubra seus sórdidos segredos.
Nada é tão simples assim na escola da vida. Leon teve de amadurecer à força e tomar decisões que transformariam de vez sua história. O peso de cada escolha era o novo e diferente caminho a seguir. O que fazer?
Este livro trata dos sentimentos e dúvidas verdadeiros de pessoas comuns em busca da felicidade. Trajetórias de altos e baixos que afloram o autoconhecimento, trancafiando ou libertando de vez o leão enjaulado em cada um de nós”. Páginas: 236 – Chiado Editora – Felipe Sales Mariotto – Ano 2015 – Ficção






 Como um bom leitor, gosto de histórias sem quais quer enrolação para chegar ao clímax e pessoalmente acredito que isso seja um ponto crucial para um livro me ganhar.

 Vemos a simplicidade de Leon -  Leão ou Lion -  ao iniciar a história, deixando seus pais em sua terra natal para cursar Medicina na UFRJ, e vemos o quão ingênuo ele é, e pelo que nos é descrito nas páginas e sugerido na capa, ele tem uma aparência muito atraente que chama a atenção de quase todo mundo inclusive de Arthur um jovem rico e que também cursa medicina, mas não é só o jovem que se atrai pelo garoto, mas também sua mãe e irmã de apenas 14 anos que por sua vez traz um tensão a mais para a história.



 Leon descobre sobre si, alguns detalhes não explorados anteriormente, mesmo que fosse iminente, mas a sua sexualidade ainda sim era um fator a ser determinado.

 A narrativa em terceira pessoa torna uma experiência de leitura confortável e rápida, tornando fácil conhecer os personagens de forma completa e objetiva, e claro que foi um dos principais elementos que me cativou, - como mencionei no início da resenha - além também da originalidade do enredo.


 Idealizar as cenas picantes se torna mais fácil quando as temos bem escritas quando se tem uma mente fértil e claro com a escrita do autor que é bem detalhada. Apesar de bem desenvolvido, tive certa dificuldade de como encarar o final do livro por ter sido demasiadamente reduzida demais, senti a ausência de mais detalhes e isso me frustrou um pouco. Contudo independente de minha experiência literária recomendo o livro porque a obra trás uma lição e tanto.

 Existe uma semelhança da capa com o personagem principal do filme Lion e apesar de eu nunca ter visto o filme me senti um tanto curioso. A capa é bem convidativa, mas particularmente não gostei da representatividade da pessoa na capa queria imaginar e idealizar o personagem principal. Ainda sobre as questões físicas do livro, tais como a diagramação é ótima com letras bem espaçadas e com tamanhos proporcionais.


 A história apresenta um mix de sentimentos ao leitor, mas tudo depende de suas concepções que podem ser totalmente empáticas nos momentos de aperto no coração ou em momentos de cumplicidade.

Posts relacionados

2 comentários:

  1. Oi Victor, tudo bem? Eu soube sobre esse livro quando você divulgou ele aqui, não sabia bem o que esperar. E acho que não me chamou tanto a atenção, apesar de achar que o tema abordado é bem legal. Também achei a capa parecida com o filme, não curto muito capas com modelos justamente pra poder imaginar os personagens. rs
    Beijos

    www.lendoeapreciando.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Kamilla!

      Não me supriu as expectativas, e apesar de eu também não gostar dos modelos nas capas o livro é bom como um todo.

      Grande abraço!

      Excluir

Obrigado pela visita! =] Volte sempre, com certeza teremos novidades quentinhas pra você!