In Eduarda Graciano livros resenha

Anne of Windy Poplars, L. M. Montgomery.

  "Anne Shirley has left Redmond College behind to begin a new job and a new chapter of her life away from Green Gables. Now she faces a new challenge - the Pringles. They're known as the royal family of Summerside - and they quickly let Anne know she is not the person they had wanted as principal of Summerside High School. But as she settles into the cozy tower room at Windy Poplars, Anne finds she has great allies in the widows Aunt Kate and Aunt Chatty - and in their irrepressible housekeeper, Rebecca Dew. As Anne learns Summerside's strangest secrets, winning the support of the prickly Pringles becomes only the first of her delicious triumphs." Anne of Windy Poplars – 288 Páginas – Bantam Books – L. M. Montgomery – Ano 1992 (Originalmente em 1936).


Anne of Windy Poplars
                                       


  Atenção! Esse é o quarto volume da série de livros "Anne de Green Gables" e essa resenha talvez contenha spoilers dos volumes anteriores (confira a resenha do último clicando aqui).

  Agora Anne pertence ao mundo. Não mais à Green Gables, à Avonlea ou à Ilha Príncipe Eduardo. E no momento ela é Anne de Windy Poplars, sua nova casa em Summerside, onde residirá por três anos até terminar seu contrato de trabalho na Summerside High School.  

  Lá Anne fará amigos inesquecíveis (como sempre), levará seu brilho à vida de pessoas amargas (como sempre) e ajudará pessoas a encontrarem o que sempre quiseram (como sempre). E, como sempre, nosso amor por ela se renova.





  Agora com 22 anos, Anne está tão longe de Marilla e Green Gables como jamais esteve. E mais ainda de Gilbert, que está estudando medicina.

  Mas para quem persegue seus sonhos, os desafios são enfrentados com muita garra, e Anne terá vários deles pela frente enquanto vive com as viúvas (ambas chamadas de tias) Kate MacComber e Chatty MacLean, com a empregada (mais dona da casa do que qualquer um) Rebecca Dew e com Dusty Miller, o gato que não deve em hipótese alguma ser mimado.
  
  É nas correspondências com seu noivo que Anne revela suas conquistas e problemas, esses quase sempre envolvendo os Pringles, a "realeza" de Summerside que parece não ter um ser humano decente em seu seio e que promete atormentar a vida da nossa protagonista. 



  Um estranhamento é o que causa Anne of Windy Poplars (Anne of Windy Willows fora do Canadá e dos EUA) até certo ponto. Para começar a estrutura da narrativa mudou e agora todo o romance é contado através de cartas. Em sua maioria, cartas de Anne para Gilbert.

  Me incomodou um pouco o fato de não ver diferença entre a escrita da autora e a da personagem. Assim como, reforcei minha percepção (que eu ainda não tinha compartilhado com vocês) nesse livro, não ver muita diferença entre os próprios personagens. L. M. Montgomery escreve personagens dentro de uma espécie de estereótipo próprio (personagem sonhador, rabugento, excêntrico) e eu reparei que eles são todos muito semelhantes no que diz respeito às formas de expressão. Se não fosse o fato de estarem em livros diferentes, eu não conseguiria diferenciar, por exemplo, a pequena Elizabeth Grayson de Paul Irving, e este, em momentos, da própria Anne. Os discursos são muito parecidos. E isso acontece com bastante frequência.


Resultado de imagem para anyway anne with an e
Amybeth McNulty como Anne Shirley na série Anne With an E (CBC/Netflix, 2017)     

   Nada que nos impeça de encantar com essa leitura, que continua leve, inspiradora e alegre! Mas é quase impossível não sentir falta do campo, de Green Gables, Marilla, Gilbert (que só aparece de forma indireta) e, é claro, da Diana - que já tem dois bebês à essa altura.

  Por um lado é legal esse distanciamento, porque com certeza sentimos o mesmo que Anne, num esforço de adaptação à esse novo ambiente. É quase como um recomeço, lembrando quando a garota chegou à Green Gables há mais de dez anos.

  Novos personagens, como já é de praxe, vêm e vão, e duas destacaram-se para mim acima de todos nesse volume: Elizabeth Grayson, uma garotinha de oito anos que vive com a avó octogenária e sua empregada, e que encontra em Anne o afeto que não tem em casa e pelo qual é tão ávida; e Katherine Brooke, uma das professoras que trabalham na Summerside High School e que aparentemente não suporta nem a si mesma.

 "- You are the only person who loves me in the world, - said Elizabeth. - When you talk to me I smell violets."*

 Gosto muito da forma como esses novos personagens entram na história, são tocados pela Anne e se vão. É algo presente em todos os livros e dá uma dinâmica legal à eles.

  Enfim, mais ansiosa para conhecer a tão sonhada casa da Anne e do Gilbert do que eu, só a própria. 
  Mal posso esperar pelo próximo volume e torcer para que seja resgatado um pouco do antigo ambiente que nos é tão querido. Mas algo me diz que, depois de passar por Summerside, voltar à Green Gables não será como antes. Nem pra Anne, nem pra nós.
   



 " - Nobody is ever too old to dream. And dreams never grow old."**


  Ah! Preciso dizer que, coincidentemente, no mesmo dia em que publiquei a resenha de Anne of the Island (aqui), a Editora Pedrazul liberou a capa de sua versão em português, que será lançada em breve. Fiquem com essa perfeição: 


Resultado de imagem para anne da ilha
Pedrazul Editora, 2018

-


 * "- Você é a única pessoa no mundo que me ama - disse Elizabeth. - Quando fala comigo sinto o perfume de violetas." 
 ** "- Ninguém nunca é demasiado velho para sonhar. E sonhos nunca envelhecem."



   PS: (O gif foi só pra ilustrar o anyway que eu ia escrever... haha)

Posts relacionados

12 comentários:

  1. Oi! Venha acompanhando as resenhas e sempre me chama a atenção. Essa capa antiga e a premissa da história me atrai. Estou bem empolgada pela editora lançar esse livro. Preciso urgentemente hahaha Bjos ❤

    Click Literário

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, que bom que está gostando!
      O quarto livro pelo jeito demora um pouquinho pra chegar aqui, mas o terceiro já já tá por aí!
      Beijão.

      Excluir
  2. Thanks for following me. Just follow you too.
    Xx http://casaninnamamma.blogspot.it

    ResponderExcluir
  3. I don´t think Ive ever heard about this book... but I fell in love with the cover hahaha

    Merry Christmas!!

    Andrea//

    https://justohana.blogspot.com.es

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. It's lovely!
      Merry Christmas and a happy new year! :*

      Excluir
  4. Mentira que a série foi inspirada em uma série de livros? Eu não sabiaaaa! De qualquer jeito, não tive muito interesse nem pela série nem por esse livro, mas vou dar uma olhada na sinopse do primeiro livro e ver se me dá vontade de começar a história. Adorei a resenha!
    Um beijão,
    Gabs | likegabs.blogspot.com ❥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah neeeeem... como assim não teve interesse? É muito amorzinho!
      Mas eu recomendo a série mais ainda do que os livros!

      Bjs

      Excluir
  5. Oi Eduarda! Como não li pra spoiler, li toda a resenha hehehehe apesar da questão dos personagens, parece uma série muito boa e gosto bastante das edições da Pedrazul, as capas são bem bonitas!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que não tem problema não... kkk São detalhes dos outros que constam aí.
      Sim... essas edições da Pedrazul são lindas. Dão um banho em qualquer uma que eu já tenha visto!
      Bjs

      Excluir
  6. Oi, Duda!
    Menina, passada na BR que é uma série de livros :O
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir

Obrigado pela visita! =] Volte sempre, com certeza teremos novidades quentinhas pra você!