In Eduarda Graciano filmes/séries

Little Women


Kathryn Newton, Maya Hawke, Willa Fitzgerald, and Annes Elwy in Little Women (2017)

Título: Little Women
Nacionalidade: Reino Unido
Lançamento: 26 de dezembro de 2017
Gênero: Drama
Direção: Vanessa Caswill
3 episódios.
Emissora oficial: BBC


  "Durante a Guerra Civil americana, num vilarejo dos EUA, vive Marmee March (Emily Watson) com seu marido e suas quatro filhas: Meg (Willa Fitzgerald), Jo (Maya Hawke), Beth (Annes Elwy) e Amy (Kathryn Newton). Com o Sr. March (Dylan Baker) em campo de batalha, resta a essas pequenas mulheres se manterem unidas, seguindo em frente a qualquer custo e buscando a felicidade umas das outras."

  Impossível assistir e não se apaixonar por essas quatro irmãs sonhadoras! 

  É fato que nos apegamos mais à umas que à outras, sobretudo porque a história foca um pouco mais em Josephine March (ou Jo), a segunda filha. Ela é cheia de energia, força de vontade e tem paixão pela escrita. Uma personagem extremamente inspiradora em sua determinação. 



  A garotas March e a mãe - a quem elas chamam pelo nome - estão sozinhas em casa, fazendo o possível para sobreviver e darem suporte umas às outras durante a ausência do patriarca da família. Nesse momento é muito bem vinda às meninas a distração e o prazer da amizade com Laurie (Jonah Hauer-King), neto do vizinho delas (Sr. Laurence, interpretado por Michael Gambon) que passa a morar com o avô até sua ida para a faculdade. De todas, ele se torna mais próximo de Jo.

  Apesar de muito próximas, as irmãs são bem diferentes entre si: Meg, a mais velha, é muito boa, trabalha como governanta e é vaidosa; Jo tem uma personalidade forte, ama ler e escrever e sonha em encontrar seu lugar no mundo. Não permite que nada a derrube; Beth é a bondade em pessoa, procura ajudar a todos e é extremamente altruísta; A caçula Amy também é provida de uma personalidade marcante e não posso deixar de dizer que, ainda que ela tenha qualidades, se sobressae o fato de ser um tanto mimada e teimosa.

  Mesmo com tantas diferenças - tendo Marmee num início como sustentáculo - as garotas têm umas nas outras seus bens mais preciosos e juntas vão descobrindo as delícias e as dificuldades de se tornar as mulheres que almejam ser.





  Por se tratar da adaptação de um romance de formação (o clássico Mulherzinhas, de Louisa May Alcott) a história não gira em torno de um plot principal. Acompanhamos a vida dessas quatro garotas e o amadurecimento de cada uma delas. É lindo ver todos os altos e baixos dessa relação, pois as March, além de irmãs, são melhores amigas.

  Vemos Jo com mais frequência e ela é de fato a mais encantadora de todas as personagens. Seu amor pelas irmãs é feroz e sua coragem é inspiradora! 

  Me emocionei muito assistindo porque se trata do tipo de história que aquece o coração.

  

   A minissérie traz fortes questionamentos sobre o lugar ocupado pela mulher no século XIX - principalmente através da figura de Jo - e acho que serve como uma cutucada não só feminista, mas uma cutucada também no que diz respeito aos valores humanos: o que você faz para se tornar um ser humano melhor?

  Por isso mesmo, digo que Little Women é extremamente inspirador... nos vemos questionando nossa própria força e bravura quando somos colocados frente a frente com essas "mulherzinhas". Você termina a história querendo ser Jo March e enfrentar de cabeça erguida o que vier.

 Além das atuações e, é claro, dos cenários, somos arrebatados durante essas três horas com valiosas lições, que não seriam tão significativas se passadas por alguém que não essas pequenas mulheres.


   " - Podemos ser felizes igual éramos antes?
     - Igual não. Éramos crianças então e não somos mais."


  Obs: preciso dizer que tenho aqui um dos ships mais frustrados da minha vida! 

Posts relacionados

10 comentários:

  1. Oi Eduarda, eu não conhecia a minisserie e adorei a premissa, gosto de enredos assim com romance de formação, acho que vou super curtir!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  2. Olá.
    Eu nunca ouvi falar da série mas a época me interessa muito e por ter somente três episódios, dá até vontade de ler, logo eu que não gosto de séries haha gostei da indicação.
    Beijos
    http://www.suddenlythings.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como assim fia tu não gosta de série? Série é filme só que extenso kkkkk brincadeiras à parte, é assim que dá pra encarar Little Women mesmo... os três episódios juntos duram menos que um Senhor dos Anéis, rsrs. Vale muito!
      Bjss

      Excluir
  3. Quero muito ver essa série, mais uma adaptação literária, tenho o livro na estante tenho mesmo que o ler <3

    MRS. MARGOT

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O livro eu tb não li ainda, mas se for metade da minissérie (e sei que é muito melhor rs) tenho certeza que vou adorar! Bjs

      Excluir
  4. Oi Eduarda,
    Eu estou lendo o livro para justamente assistir essa minissérie.
    To encantada pela Jo e parece que na série continua, a personagem é realmente maravilhosa, que conquista logo nas primeiras páginas.
    E nossa, Maya Hawke é tão linda quanto a mãe, espero que tenha uma longa carreira como os pais. Preciso conferir como ela se saiu. Amei a dica!

    bjs
    Nana - Canto Cultzíneo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nana, eu fiquei meio com medo de ficar comparando ela com a Uma ou com o Ethan na minha cabeça, mas sabe que na hora nem lembrei disso? Ela está maravilhosa e acho que tem futuro! Claro que, com uma personagem maravilhosa dessas, é difícil não amar!
      Bjss

      Excluir
  5. Oii Eduarda, nunca ouvi falar da série, mas quero muito assistir, gostei muito da temática, e por ser uma minissérie dá para ver rapidinho.
    -Beijos,Carol!
    http://entrehistoriasblog.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É curtinha mesmo, Carol. Mas no final vc vai ver que isso é uma pena!! D:
      rsrs Bjss

      Excluir

Obrigado pela visita! =] Volte sempre, com certeza teremos novidades quentinhas pra você!