In livros Meicy Lins resenha

A Terra das Sombras - A Mediadora - Volume 1.



“Falar com um fantasma pode ser assustador. Ter a habilidade de se comunicar com todos, então, é de arrepiar qualquer um. A jovem Suzannah seria uma adolescente nova-iorquina comum, com seu indefectível casaco de couro, botas de combate e humor cáustico, se não fosse por um pequeno detalhe. Ela conversa com mortos. Todos eles. Qualquer um. Ela é uma mediadora, em termos místicos, uma pessoa cuja missão é ajudar almas penadas a descansar em paz. Um dom nada bem-vindo e que a deixa em apuros com mãe e professores. Como convencê-los da inocência nas travessuras provocadas por assombrações?”. | Autora: Meg Cabot – Editora: Galera Record – Páginas: 288 – Ano: 2014 – Gênero: Ficção/Fantasia.


Li o primeiro volume dos best seller de Meg Cabot há alguns anos atrás, e confesso que devido a escrita leve e juvenil da autora desejei poder esquecer para ler outra vez. O livro começa com a mudança da personagem Suzannah Simon para Carmel na Califórnia, onde ela achava que encontraria diversão em praias incríveis, porém o que a aguarda na casa nova e na nova escola, é uma fila de fantasmas esperando encontrar a paz. Sim! Eu disse fantasmas, mas não se assustem, Meg tem um jeito único de fazer com que aparições fantasmagóricas não sejam tão assustadoras assim, para falar a verdade, alguns fantasmas são até amigáveis, e com isso me refiro a Jesse da Silva. Jesse é o fantasma bonitão que reside na casa antiga para onde Suze e a família acabam de se mudar, antes que imaginem um romance bonito e completamente impossível, vou logo avisando que o primeiro contato de Suze com Jesse não é nada romântico, pelo contrário, os dois entram em confronto no momento em que se veem pela primeira vez. Isso porque Suze está cansada de trabalhar como mediadora e não ver a hora de Jesse deixar a casa e sua família em paz, o que claro, não acontece.

Suzzanah Simon é uma "mocinha" diferente de todas que já vi, com uma personalidade forte e destemida, a jovem se diz incapaz de levar desaforo para casa, sua agressividade acaba atrapalhando sua "missão", até que um padre da escola descobre que Suze é uma mediadora, e como ele possui os mesmos "dons" que a garota, decide ajuda-la nessa jornada assustadoramente sombria. Mas a tarefa de ajuda-la não será tão fácil, Suze está acostumada a resolver os seus problemas na base da pancadaria, prática não tão bem aceita pelo padre e que muitas vezes coloca sua vida em risco.

Na escola uma nova surpresa para nossa mediadora esquentadinha, um fantasma em forma de adolescente loira e raivosa decide fazer da vida da garota um verdadeiro inferno, isso porque Heather cometeu suicídio quando seu namorado terminou com ela, e adivinha quem se torna o novo pretendente de Suzannah? Isso ai! O ex-namorado e motivo da morte de Heather. Agora, além de lidar com a nova vida na Califórnia, longe da única e melhor amiga Gina, Suze terá que se livrar de Heather de uma vez por todas, garantir a segurança dos demais estudantes da escola católica, e ainda por cima evitar uma eminente paixão pelo fantasma que habita sua casa.

Confesso que tentar não se apaixonar por Jesse acaba sendo a tarefa mais difícil, afinal, o fantasma é um verdadeiro cavalheiro (não que Suze goste de cavalheiros) mas ele se mostra disposto a protegê-la custe o que custar, e o que antes era uma implicância, acaba se tornando uma paixão tórrida e proibida. Além do fato de não poderem ter uma vida normal como namorados, Suze ainda precisa descobrir como Jesse morreu tão jovem e quais são os mistérios por trás do seu passado, o único problema é que desvendar esses mistérios pode fazê-lo encontrar a "paz" o que significa uma vida longe de seu amado.

A terra das sombras narra uma história fantasiosa de um jeito divertido e tipicamente adolescente, cheio de reviravoltas e mistérios que instigam o leitor a desvenda-los, e claro, um romance diferente e inusitado é desenvolvido ao longo da trama, romance esse que acaba se tornando um dos principais motivos para ler e se prender na história de Meg Cabot que possui sete livros. Como uma fã de carteirinha, não poderia deixar de falar que a coleção inteira é digna do sucesso que teve quando foi lançada e do sucesso que ainda faz com o público jovem.

Posts relacionados

8 comentários:

  1. Fiquei com muita vontade de ler!

    http://www.gotasdecafe.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Oi Meicy tudo bem? Eu adoro essa série, li faz muito tempo, mas guardo boas memória da época e foi uma excelente leitura!! Gosto bastante da escrita da Meg e tb amei Jesse e seu seu modo protetor de ser <3

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. obrigada por ler a matéria! também sou apaixonada pela escrita da Meg. beijos!

      Excluir
  3. Ai Meicy, amei a resenha!
    Chego a me emocionar, porque A Mediadora foi uma série muito importante na minha formação como leitora. Li aos 16 anos e adorei acompanhar a história da Suze e do Jesse (naquela época o Jesse era o Taylor Lautner na minha cabeça, que estava fazendo sucesso como o Jacob de Crepúsculo). Até hoje não li o sétimo volume... tenho um pouquinho de medo de não gostar. rs
    Ótima dica. Uma série da autora que eu amo mais ainda é O Diário da Princesa. Meg Cabot é tudo de bom! ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. oi Eduarda! Também não consegui ler o ultimo volume com medo de criar expectativas e me frustrar, mas aposto que vale a pena, Meg nunca decepciona. obrigada por ler a resenha, beijos!

      Excluir
  4. Detalhe: meu favorito é o quarto volume, A Hora Mais Sombria.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. para mim é difícil escolher um só rsrsrs

      Excluir

Obrigado pela visita! =] Volte sempre, com certeza teremos novidades quentinhas pra você!