In filmes/séries Meicy Lins

Tudo e todas as coisas, uma história de amor épica!




Título: Tudo e Todas as Coisas
Direção: Stella Meghie
Nacionalidade: EUA
Idioma Original: Inglês
Gênero: Romance, Drama
Data de Lançamento: 15 de junho de 2017
Duração: 1h36min


"Maddie (Amanda Stenberg) está prestes há fazer 18 anos e nunca saiu de casa. Desde a infância, a jovem foi diagnosticada com a Síndrome da Imunodeficiência Combinada, de modo que seu corpo não seria capaz de combater os vírus e bactérias presentes no mundo exterior. Ela é cuidada com carinho pela mãe, uma médica que construiu uma casa especialmente para as necessidades da filha. Um dia, uma nova família se muda para a casa ao lado, incluindo Olly (Nick Robinson), que se sente atraído pela garota através da janela. Maddie também se apaixona pelo rapaz, mas como eles poderiam viver um romance sem se tocar?".

Tudo e todas as coisas é um romance que transcende o que conhecemos a cerca dos filmes românticos, isso porque é totalmente novo e fascinante, eu diria que é uma viagem que não só emociona como nos da uma lição de vida. Maddie é uma protagonista encantadora, sem falar na inteligência intrigante da garota e sua incrível capacidade de imaginação! Ela cresceu em uma casa "futurista" que foi adaptada para as suas necessidades, já que aparentemente seu organismo não possui a capacidade de se recuperar nem de uma simples gripe. Acostumada com a ideia de que jamais poderia sair de casa, Maddie se sente feliz e segura ao lado da mãe, da sua enfermeira Carla, e Rosa sua única amiga, e também a única pessoa que pode visita-la. Porém, uma família cheia de conflitos se muda para a casa ao lado da sua, e entre eles está Olly, um garoto lindo e misterioso.

Os jovens se apaixonam no momento em que se veem pela primeira vez, dai já imaginamos que o filme promete um romance cheio de clichês e dramas, mas não é exatamente assim. Tudo e todas as coisas é totalmente inovador por não forçar as emoções, fiquei surpresa ao constatar que não derramei uma sequer lágrima, mas isso não quer dizer que não me emocionei. Maddie e Olly são completos opostos, ela é obrigada a usar camisetas brancas todos os dias, ele tem um fascínio por roupas pretas, ela nunca viu o mar e sonha em pisar para fora de casa, ele é espírito livre, mas também sofre por não poder livrar a mãe do pai abusivo.

A maior parte do contato entre eles é por torpedos, Maddie tenta a todo custo não se apaixonar, pois sabe que não será nada fácil, o problema é que Olly está disposto a conquistar a garota, mesmo sabendo que nunca poderão se tocar. Até que a enfermeira Carla decide bancar a cúpida e ajuda os pombinhos a se encontrarem pela primeira vez, isso sem contato físico é claro! Nesse momento do filme eu já estava imaginando um beijo de cinema capaz de explodir corações, mas eles apenas conversam e acabam descobrindo que estão mais apaixonados do quê nunca.

A mãe de Maddie se mostra uma obcecada por controle, não julgo, ela perdeu o marido e o filho mais velho em um acidente de carro, então vive para proteger tudo que lhe restou. Não me surpreendo quando ela descobre o romance secreto e ordena que Maddie se mantenha longe de Olly, perfeito Romeu e Julieta que me prendeu ainda mais ao filme. É então que presenciamos a melhor parte, Maddie decide fugir de casa para ter certeza que está realmente doente, e claro, viver enormes aventuras ao lado do seu amado. Para quem não leu o livro, a adaptação é uma enxurrada de emoções, meu pobre coração quase não aguentou de ansiedade, mas ao mesmo tempo eu vibrei e torci para que eles conseguissem viver aquele amor inspirador.

Como não quero acabar dando spoiler, vou encerrar dizendo que diferente de todos os romances que já assisti, Tudo e todas as coisas é antes de tudo uma lição, afinal, Maddie arrisca a própria vida para finalmente ter a sensação de estar viva ao lado do seu grande amor. Então, se você não tem uma doença grave que o impeça de sair de casa, saia e viva grandes aventuras, e não esqueça de amar, pois como já dizia Maddie:

"Eu era feliz antes de conhecê-lo. Mas agora estou viva, e isso não é a mesma coisa".

Posts relacionados

4 comentários:

  1. Olá Meicy!
    Concordo plenamente! Adorei a leitura do livro e ainda mais do filme ♥︎
    Feliz Páscoa 🐰
    Beijos!

    Books & Impressions

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Raissa! Que bom que gostou, o livro e a adaptação são realmente incríveis. Beijos!

      Excluir
  2. Eu só vi o trailer desse filme mas não vou mentir... me pareceu bem teen e meloso (algo no nível Se Eu Ficar...). No entanto quero muito ver por conta desse conteúdo inspirador (viva intensamente) e mais ainda, por conta de termos uma protagonista negra! Dps eu conto se gostei ou não rs
    Adorei sua resenha, Meicy e só de saber que não chorou já fiquei mais animadinha, pq talvez não seja meloso como eu imagino rsrs
    Beijoo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Eduarda, peço que não julgue o filme pelo trailer rsrsrs fiz isso e me surpreendi. Tudo e todas as coisas é realmente inspirador, também adorei o fato de que a protagonista é negra, linda e talentosa também! Obrigada por ler a matéria, espero que goste do filme, o livro também é maravilhoso. Beijos!

      Excluir

Obrigado pela visita! =] Volte sempre, com certeza teremos novidades quentinhas pra você!