In livros Meicy Lins resenha

Obsidiana.


"Começar de novo é um saco. Quando a gente se mudou para o interior, bem no início do último ano do colégio, eu já vinha me preparando para o sotaque caipira, o tédio, a internet lenta e um monte de chatices... Até dar de cara com o meu vizinho gato, alto de dar tontura e com intimidantes olhos verdes. Hummm... os prognósticos estavam melhorando. Até que... ele abriu a boca. Daemon é irritante. Arrogante. Dá vontade de matar. A gente não se dá bem. Não mesmo. Mas, quando um caminhão quase me transforma em panqueca, o garoto literalmente congela o tempo com um aceno de mão e aí, bom, algo inesperado acontece. O alien gato (meu vizinho) me deixa com um rastro. Você me ouviu bem. ALIEN! A verdade é que ele e a irmã têm uma galáxia de inimigos que querem roubar seus poderes. O rastro que deixou em mim brilha como lua cheia, e isso não é nada bom. O único jeito de sair viva dessa é ficar colada em Deamon, até a magia alienígena desaparecer. Quer dizer, isso se eu não matar o cara primeiro". Gênero: Ficção Científica – Série: Lux –  Autores: Jennifer L Armentrout e  Camila Pohlman  –Editora: Valentina  – Páginas: 320 páginas  –  Publicação: 29 de novembro de 2011.


Diferente de todos os livros de ficção que eu já li em toda a minha vida, Obsidiana fala sobre a misteriosa existência de extras terrestres, ao mesmo tempo em que constrói um romance juvenil e arrebatador. Katy, acaba de se mudar para uma pequena cidade que ela gosta de chamar de "interior", e tudo que ela encontra para salvá-la é o seu passatempo preferido, escrever resenhas literárias em um blog. Era o que ela pensava, até dar de cara com o seu vizinho, Daemon Black, confesso que prendo o ar sempre que escuto esse nome, afinal, com as palavras da própria Kat, ele é um verdadeiro "gato".

O único problema é que por trás de um físico tanquinho maravilhoso e de belos olhos verdes (sobrenaturais), existe um caráter arrogante e convencido que incomoda a nossa mocinha desde o início. Daemon mora sozinho com sua irmã gêmea, a belíssima e carismática Dee, que vê na nova vizinha uma possível melhor amiga, mesmo que Daemon não meça esforços para impedir que essa amizade aconteça. Na nova escola, Katy e toda sua irreverência, atraem não só novos pretendentes, como a ira de uma ex-namorada loira e vingativa que ainda tem sentimentos por Daemon e logo percebe a atração inegável que existe entre eles.

Mais próxima de Dee e dos mistérios que cercam aquela pequena cidadezinha, Katy tenta a todo custo evitar que seu coração bata mais forte sempre que ela encontra o moreno irresistível, e fica cada vez mais difícil quando por insistência de Dee, o seu gêmeo decide "fazer as pazes" com a novata. O único problema é que ambos não possuem papas na língua, o que dificulta de todas as formas a convivência entre eles, mesmo com uma futura paixão que a cada dia se torna mais intensa. As complicações pioram quando Katy escapa por pouco de ser atropelada por um caminhão, graças aos super poderes do jovem Black, isso mesmo! Super poderes de alienígena.

Daemon e Dee Black são alienígenas chamados de "Luxen", são feitos de luz, viviam em um planeta há anos luz de distância da terra, e estão sendo perseguidos por inimigos conhecidos como "Arum", alienígenas que sugam a luz de um Luxen até levá-lo a morte. Os Luxen deixam um rastro nos humanos quando usam os seus poderes na presença de um, e agora Katy possui um enorme rastro que mais se parece um alvo grudado em suas costas. Agora, além de lidar com a recente mudança, a nova escola e todos os problemas de sua vida adolescente, Katy ainda precisa contar com a ajuda de sua paixão secreta para manter-se viva e segura.

Leia mais!

Share Tweet Pin It +1

0 Comments

In Eduarda Graciano livros resenha

Delírio, Lauren Oliver.


"Muito tempo atrás, não se sabia que o amor é a pior de todas as doenças. Uma vez instalado na corrente sanguínea, não há como contê-lo. Agora a realidade é outra. A ciência já é capaz de erradicá-lo, e o governo obriga que todos os cidadãos sejam curados ao completar dezoito anos. Lena Haloway está entre os jovens que esperam ansiosamente esse dia. Viver sem a doença é viver sem dor: sem arrebatamento, sem euforia, com tranquilidade e segurança. Depois de curada, ela será encaminhada pelo governo para uma faculdade e um marido lhe será designado. Ela nunca mais precisará se preocupar com o passado que assombra sua família. Lena tem plena confiança de que as imposições das autoridades, como a intervenção cirúrgica, o toque de recolher e as patrulhas-surpresa pela cidade, existem para proteger as pessoas. Faltando apenas algumas semanas para o tratamento, porém, o impensado acontece: Lena se apaixona. Os sintomas são bastante conhecidos, não há como se enganar — mas, depois de experimentá-los, ela ainda escolheria a cura? " | Lauren Oliver – Intrínseca – 352 Páginas – Ano 2012 (Originalmente em 2011) – Literatura estrangeira, romance, distopia, infantojuvenil.


Nos EUA do futuro o maior medo de Lena e de qualquer jovem de sua idade é a volta da praga amor deliria nervosa, uma doença que leva ao delírio e corrompe a alma humana. Por conta disso, os cidadãos passam por uma intervenção que promete livrá-los para sempre desse mal. Mas quando conhece Alex, Lena sente que tudo em que sempre acreditou talvez não seja exatamente verdade e que a dita perdição, mesmo com um preço, pode ser mais poderosa do que ela jamais imaginou.

Nem sei do que eu fujo mais: romances adolescentes ou distopias. Se juntar os dois então, corro mais que o diabo da cruz. Mas Delírio me chamou a atenção imediatamente quando eu descobri que o tema da vez era o amor. Achei muito curioso e me perguntei como seria uma sociedade vivendo sem esse sentimento.

Citando Game of Thrones: “quanto mais pessoas você ama, mais fraco você é” e me pareceu incrível e muito criativo imaginar um mundo onde o amor é proibido, porque te faz mesmo mais fraco, vulnerável e irracional. Deparando-nos com uma história assim confrontamos o poder desse sentimento... ali, naquela realidade, ele é o maior mal e inevitavelmente é o maior bem e a única forma de salvar a sociedade do que ela se tornou. As pessoas vivem entorpecidas e indiferentes e, para os transgressores, cuja punição é a morte, qualquer sentimento é melhor do que nenhum.

Esse tema pra mim é muito rico e me fez desejar que esse livro fosse mais adulto. A meu ver, o que o impede de ser um bom livro é o romance adolescente, que não foge dos clichês do gênero... tudo muito rápido e açucarado. Talvez, se eu tivesse dezesseis anos, fosse adorar. Mas não vou negar que o gostinho do proibido é bom em qualquer situação.

É inevitável para mim, que sou muito fã da série The Handmaid’s Tale (baseada no livro O Conto da Aia, que eu resenhei aqui), não relacionar as duas histórias. O amor, a paixão e qualquer tipo de afeto, mais cedo ou mais tarde, na visão dos ditadores, corrompem os seres humanos.

Apesar dos defeitos – que aqui se limitam a uma adulta chata tentando ler uma história que não foi feita pra ela - Delírio faz refletir, (até) suspirar e ter vontade de sair abraçando todo mundo. Um sentimento de: não deixem o amor morrer!

Leia mais!

Share Tweet Pin It +1

1 Comments

In livros resenha

Marcas da Vida, Natalia Moreno



“Marcas da vida conta a história de Lilian, uma atriz no auge da carreira, que vê sua vida ser destruída quando sofre um acidente de carro. Com um contrato cancelado e cheia de contas a pagar, Lilian torna-se professora de teatro. Segue sua vida sem grandes aspirações até que uma aluna nova reacende nela o sonho de ter uma família. A professora, esperançosa, mas ainda marcada pelas tragédias de sua história, embarca em relacionamento com Marcos, um publicitário bem-sucedido, cercado de prestígio e belas mulheres. Para não desistir da felicidade, Lilian terá de lidar com os seus fantasmas e se enxergar além do que vê no espelho”. | Natalia Moreno – Novo Século Editora – 118 Páginas – Ano 2015 – Ficção, romance.


A história de Lilian é triste e conturbada, pois seus fantasmas em sua maioria das vezes são maiores que suas forças, mas por obra do acaso uma menininha lhe ensina que ainda existe esperança, e nesse pacote ela engata um romance com Marcos o pai da menina, mas será que ainda existe mesmo esperança, pois a nossa protagonista terá de lidar com seus medos para poder seguir em frente.

A breve obra de Natalia Moreno, Marcas da Vida, traz um aspecto interessante de se ver em histórias como esta, pois é objetivo e cativante.

Personagens foram construídos de forma excepcional, pois transparecem suas personalidades em suas falas, tal como suas dores, e isso os torna especiais porque é possível os conhecer em um curto período e afeiçoar-se a eles ou odiá-los.

Detendo de uma estrutura interessante a trama possui um enredo formidável, com características únicas, mas que poderiam ser mais aproveitadas com fim de produzir algo além do que temos.

Os aspectos físicos transparecem o cuidado que a editora junto com nossa autora teve com a edição, pois possui a diagramação possui um ótimo espaçamento de letras e distribuição de capítulo e uma capa que transparece em uma mensagem implícita o estado de nossa protagonista.

 Sem dúvidas a obra é por vezes cativante e transmite sentimentos ao leitor que ama romances.


Leia mais!

Share Tweet Pin It +1

1 Comments

In filmes/séries Meicy Lins

This Is Us.




Título: This is us
Criador: Dan Folgeman
Nacionalidade: Estados Unidos
Idioma original: Inglês
Gênero: Comédia romântica e drama familiar
Lançamento: 20 de setembro de 2016
Duração: 42min.

A série é uma crônica da relação de um grupo de pessoas que nasceram no mesmo dia. Rebecca e Jack são um casal esperando trigêmeos em Pittsburgh. Kevin é um belo ator de televisão que está cansado de fazer papéis superficiais, Kate é uma mulher obesa que vive uma eterna luta para perder peso, e Randall reencontra seu pai biológico que o abandonou quando ele era apenas um bebê recém-nascido".

A série tem início com o dia do aniversário de Randall, um homem rico e bem sucedido, Kate, uma mulher que enfrenta problemas com o peso, e Kevin, um jovem ator que não está satisfeito com o seu atual trabalho. Ambos possuem mais em comum do quê apenas a data de aniversário, afinal, Randall foi adotado pelos pais dos gêmeos Kevin e Kate quando ainda era um recém-nascido. 

Rebecca e John estavam esperando trigêmeos quando o parto complicado colocou a perder a vida de um dos bebês. Arrasado com a morte de um dos filhos, John acaba encontrando um bebê na maternidade e descobre que a criança acabara de ser abandonada em frente ao corpo de bombeiros. Não é nenhuma surpresa quando os pais de primeira viagem decidem levar o pequeno órfão para casa, o que eles não imaginavam era que essa súbita adoção acarretaria reviravoltas e conflitos frequentes em suas vidas.

Além de ter que crescer com uma família branca e lidar com os preconceitos ao longo da vida, Randall ainda precisa conviver com a rivalidade que existe entre ele e seu irmão mais velho, já que Kevin vê no garoto negro adotado, um rival competindo pelo amor e pela atenção dos seus pais. Em contrapartida, Kate cresce cada vez mais acima do peso, mesmo com os esforços de sua mãe que tenta tornar sua vida mais saudável para evitar a futura rejeição da sociedade.

Já na vida adulta, os três irmãos estão cada vez mais distantes, e ainda enfrentam os mesmos problemas do passado. Kate está determinada a perder o peso, Kevin tenta lutar pelo seu sonho de se tornar um ator sério, Randall encontra seu pai biológico, mas este reencontro não é tão agradável, já que  desenterrou segredos que prometem abalar fortemente a família Person.


Três irmãos, três protagonistas, e três histórias de vida incríveis que se entrelaçam e nos ensinam sobre superação, amor e família.



Leia mais!

Share Tweet Pin It +1

0 Comments

In cotidiano Julia Rietjens

5 FILMES DE TERROR INSPIRADOS EM HISTÓRIAS REAIS.



Mais uma sexta-feira 13 chegou e hoje compartilho com vocês os cinco filmes de terror e suspense inspirados em fatos reais. Preparados para sentir medo?

1.      Invocação do Mal

O filme é baseado em uma história que aconteceu com o casal de “investigadores paranormais”, Ed e Lorraine Warren. Tudo deve ter acontecido de verdade mesmo, pois Roger Perron, o pai da família que sofreu o ataque paranormal, e seus cinco filhos foram até o local das filmagens checar se estavam sendo fiéis à história.

Apesar de ter uma continuação lançada em 2016 e outra com estreia prevista para 2019, estes filmes não são baseados em fatos reais. 



2.      Annabelle (1, 2 e 3)

Apesar das histórias dos filmes não serem verídicas, a boneca que as inspirou existe de verdade e está exposta no Museu Oculto, do casal Warren. A boneca fica dentro de um cofre especial, construído para conter o espírito maligno que a habita, por isso dizem que ela não pode sair de dentro dele. Ao final do segundo filme, no entanto, a boneca que a personagem Janice segura é a verdadeira. Que coragem, não?

Cada continuação foi dirigida por um diretor diferente, e o terceiro filme da franquia deve chegar aos cinemas em 2019.



3.       A Última Profecia

Baseado em uma história que aconteceu em West Virgina, fala sobre a investigação de um jornalista sobre o Homem Mariposa, cuja aparição parece estar sempre ligada a algum desastre. Não é terro por definição, mas há muitos momentos de suspense que farão seu coração acelerar.



4.      Do inferno

Apesar de não ser uma adaptação real, este filme foi baseado nas ações do famoso assassino em série, Jack, O Estripador.



5.      Evocando Espíritos

A história foi baseada em um caso real de uma família que se mudou para uma casa mais próxima do médico por conta do tratamento do filho que sofria de câncer. Eles descobriram, vários equipamentos de embalsamento escondidos na casa, que anteriormente funcionava como uma funerária. Ao que dizem, a família realmente começou a ouvir vozes pela casa e seu filho foi possuído, tendo que passar por um ritual de exorcismo.

Inclusive, a história foi apresentada no documentário A Haunting in Connecticut (2002), do canal Discovery Channel, antes de ser transformada em um filme. 



Leia mais!

Share Tweet Pin It +1

0 Comments

In cinema

CINEMA: Novidades Julho 2018



Se você ama cinema, com certeza deseja ficar por dentro de todas as novidades que acontece no cinema, não é? Pensando nisso estamos iniciando uma serie de matérias sempre nas primeiras semanas do mês com todos os filmes em cartaz ou a serem lançados no referido mês justamente para que estejam sempre atualizados.

No mês de julho temos diversas novidades maravilhosas no cinema e isso é ótimo. Cheguei a conclusão de que ainda vamos falir com cinema ainda em 2018, são muito filmes bons para um ano só! Risos.
Vamos as quentinhas do mês?

EM CARTAZ

A noite devorou o mundo: Após uma noite de festa com muita bebida, Sam (Anders Danielsen Lie) acorda completamente sozinho em seu apartamento. Ainda confuso ele descobre um terrível acontecimento: a cidade de Paris está tomada por zumbis famintos. Rapidamente ele começa a proteger o prédio em que vive e elabora estratégias para conseguir manter-se vivo em meio a catástrofe. No entanto, ele ainda não tem certeza se é o único sobrevivente neste cenário hostil. | Gênero: Terror, fantasia, Duração: 1h34min., Nacionalidade: França, Direção: Dominique Rocher, Lançamento: 5 de julho de 2018.



Cachorros: Mariana (Antonia Zegers) faz parte de uma importante família chilena, mas, apesar dos privilégios, encontra-se inteiramente infeliz em sua própria casa. Sentindo-se desprezada pelo pai e pelo marido, ela encontra refúgio nos braços do seu professor de equitação Juan (Alfredo Castro), acusado de diversos crimes durante a ditadura. A partir deste caso amoroso, Mariana contempla o passado de sua família vir à tona. | Gênero: Drama, Duração: 1h34min., Nacionalidade: Chile, França, Direção: Marcela Said, Lançamento: 5 de julho de 2018.



Custódia: O casal Miriam (Léa Drucker) e Antoine Besson (Denis Ménochet) acabar de se divorciar. E para garantir a proteção de seu filho do pai, que ela acusa de ser violento, Miriam pede a custódia exclusiva. O juiz, no entanto, acaba concedendo custódia compartilhada aos dois. Tomado quase como um refém entre seus pais, Julien (Thomas Gioria) fará tudo para evitar o pior. | Gênero: Suspense, drama, Duração: 1h33min., Nacionalidade: França, Direção: Xavier Legrand, Lançamento: 5 de julho de 2018.




Estradas de sonhos: O documentário traz à tona a história ferroviária do Brasil. Pensando além dos trilhos e das locomotivas, discorre sobre momentos, lembranças e registros de pessoas que vivenciaram e ainda vivem esse símbolo da modernidade e progresso no passado, revisitando não apenas a primeira ferrovia do Brasil, a Barão de Mauá, como outras abandonadas. | Gênero: Documentário, Duração: 1h31min., Nacionalidade: Brasil, Direção: Pedro Von Kruger, Lançamento: 5 de julho de 2018.



Homem formiga e a Vespa: Após ter ajudado o Capitão América na batalha contra o Homem de Ferro na Alemanha, Scott Lang (Paul Rudd) é condenado a dois anos de prisão domiciliar, por ter quebrado o Tratado de Sokovia. Diante desta situação, ele foi obrigado a se aposentar temporariamente do posto de super-herói. Restando apenas três dias para o término deste prazo, ele tem um estranho sonho com Janet Van Dyne (Michelle Pfeiffer), que desapareceu 30 anos atrás ao entrar no mundo quântico em um ato de heroísmo. Ao procurar o dr. Hank Pym (Michael Douglas) e sua filha Hope (Evangeline Lilly) em busca de explicações, Scott é rapidamente cooptado pela dupla para que possa ajudá-los em sua nova missão: construir um túnel quântico, com o objetivo de resgatar Janet de seu limbo. | Gênero: Ação, ficção cientifica, aventura, Duração: 1h58min., Nacionalidade: EUA, Direção: Peyton Reed, Lançamento: 5 de julho de 2018.

Mulheres alteradas: O cotidiano de quatro mulheres, cada uma enfrentando problemas bem particulares: Keka (Deborah Secco) enfrenta uma crise no casamento com Dudu (Sérgio Guizé), Marinati (Alessandra Negrini) é uma workaholic que repentinamente se apaixona por Christian (Daniel Boaventura), Leandra (Maria Casadevall) sente-se bastante insegura pelo fato de ainda não ter constituído família e Sônia (Monica Iozzi) está cansada da rotina doméstica e sonha com a época em que era solteira. | Gênero: Comédia, Duração: 1h35min., Nacionalidade: Brasil, Direção: Pedro Pinheiro, Lançamento: 5 de julho de 2018.


Nos vemos no paraíso: Em novembro de 1918, alguns dias antes do Armistício de Compiègne, Édouard Péricourt (Nahuel Pérez Biscayart) salva a vida de Albert Maillard (Albert Dupontel). Os soldados franceses não têm nada em comum, a não ser a guerra e o ódio pelo vil Tenente Preadelle (Laurent Lafitte), e são obrigados a se unir para sobreviver - uma firme parceria marcada por farsas e lealdade. | Gênero: comédia dramática, Duração: 1h57min., Nacionalidade: França, Direção: Albert Dupontel, Lançamento: 5 de julho de 2018.





EM BREVE NOS CINEMAS

12 de julho

Arranha-céu: Coragem sem limites
Hannah
Hotel Transilvânia 3: Férias Monstruosas
Muse: Drones World Tour
Todo dia
Uma Casa a Beira Mar

19 de julho

Bergman – 100 anos
Egon Schiele - Morte e a Donzela 
Ilha dos Cachorros de Wes Anderson
O Orgulho 
Primavera em Casablanca 
Tio Drew 
Uma Quase Dupla 

26 de julho

A Festa 
Alguma Coisa Assim 
Lámen Shop 
Missão Impossível - Efeito Fallout de Christopher McQuarrie
O Futuro Adiante de Constanza Novick
Promessa ao Amanhecer de Eric Barbier
Tesnota de Kantemir Balagov
Vinte Anos

Leia mais!

Share Tweet Pin It +1

2 Comments

In Eduarda Graciano livros resenha

Neardertal Procura Humano, Penny Reid.


“Depois de perder o namorado, o apartamento e o emprego no mesmo dia, Janie Morris não consegue deixar de imaginar o novo tormento que o destino reserva. Para sua completa mortificação, Quinn Sullivan - também conhecido como Senhor Calças-Quentes - testemunha tudo isso, então continua aparecendo como um par de sapatos que você deseja, mas não pode pagar. A última coisa que ela espera é que Quinn — o foco de suas levemente, ainda que inofensivas, tendências de perseguição — faça a ela uma oferta irrecusável” ... | Penny Reid – 3DEA – 300 Páginas – Ano 2018 (Originalmente em 2013) – Literatura estrangeira, romance.



Janie é formada em arquitetura, tem 26 anos e simplesmente não consegue conduzir uma conversa sem dar inúmeras informações desnecessárias (estatísticas e curiosidades no geral). Naquele que fica conhecido como o pior dia de sua vida ela é demitida do trabalho logo após romper com o namorado. Mas talvez nem tudo sejam lágrimas, já que o segurança mais lindo em quem ela já pôs os olhos vem para ajudar a escoltá-la. Mas espera... escolta pra quê?

Essa é uma das perguntas que buscamos responder durante a leitura. Nem Janie sabe por que foi demitida e, sinceramente, depois de conhecer Quinn Sullivan, o tal segurança, parece que todos os problemas ficam menores. Ele é misterioso, é verdade, mas muito atencioso e impossivelmente lindo. A doce e insegura Janie não acredita que esse tipo esteja realmente interessado nela. E foi por aí que a história me perdeu/prendeu.

Quando me deparei com esse nome, com essa capa fofa e essa sinopse, já havia construído o mais divertido dos chick-lits¹ na minha cabeça. Porém o primeiro volume da série não-contínua Clube do Tricô não faz parte desse gênero. É de fato um romance e só. A protagonista é sim divertida e peculiar, mas não nego que várias vezes são irritantes essa sua inocência e essa fala descontrolada sobre detalhes triviais, o que chegou a me deixar esperando uma explicação sobre algum tipo de distúrbio do qual ela sofre.

Apesar da escrita ágil e espirituosa, achei que a autora desperdiçou ótimos personagens, ou pelo menos ótimas características de personagens, numa história que não diz nada, não faz suspirar e nem torcer pelo casal. Eu não gosto de romances fáceis, especialmente se tratando de personagens com baixa autoestima e supostos deuses. Pra mim não cola. E é exatamente o que acontece aqui. Mesmo que, é claro, fique óbvio que Janie está mais do que dentro do dito padrão de beleza. Para completar, o romance começa tão rápido que não dá tempo de construir aquela tensão gostosa. Eu cheguei a torcer para que houvesse um grande plot twist² no final, revelando algo sobre o mocinho, que salvasse a história.

Outra coisa que em romances contemporâneos sempre me incomoda é o cara podre de rico, patrão de Deus e do mundo e a moça que não tem dinheiro pra pagar a conta, envolvidos. Acho que isso deixa a mocinha numa situação delicada e faz com que seja reforçado aquele estereótipo da mulher que precisa ser cuidada e sustentada. A mim não costuma agradar.

Mesmo assim o livro traz pontos positivos como o clube de tricô do qual Janie faz parte (ela não sabe tricotar) formado por várias mulheres muito diferentes. Uma delas é Elizabeth, colega de quarto de Janie que é médica e cuja história, de acordo com a pista dada pela protagonista, envolve um amor do passado. Já quero!

¹ Checklist é uma palavra em inglês, considerada um americanismo que significa "lista de verificações". Esta palavra é a junção de check (verificar) e list (lista). Uma checklist é um instrumento de controle, composto por um conjunto de condutas, nomes, itens ou tarefas que devem ser lembradas e/ou seguidas.

² Plot twist é uma mudança radical na direção esperada ou prevista da narrativa, uma reviravolta na história.

Leia mais!

Share Tweet Pin It +1

0 Comments

In filmes/séries

Killing Eve.



Título: Killing Eve
Direção: Phoebe Waller-Bridge
Nacionalidade: EUA
Idioma original: Inglês
Status: Em andamento
Emissora: BBC America
Gênero: Drama, Suspense
Lançamento: 08 de abril de 2018.
Duração: 60min.

Eve (Sandra Oh) trabalha como segurança em uma empresa, mas seu emprego estável e dentro de quatro paredes não sucumbe o desejo dela de se tornar uma espiã. É por isso que quando a primeira oportunidade surge, a jovem não pensa duas vezes e mergulha em uma caçada incansável contra uma assassina. Agora, seu alvo é Villanelle (Jodie Comer), uma criminosa tão elegante quanto perspicaz”.

Traduzir em palavras o sentido e todos os atributos que a série possui apenas com oito episódios de uma primeira temporada é uma missão difícil de se fazer, principalmente pelo estado de petrificação pela qualidade em todos os sentidos possíveis, e não é atoa que já está concorrendo o TCA Awards.

A série guia o espectador por um caminho que mescla o humor sarcástico da nossa querida Sandra Oh como Eve, suspense e drama todos em um patamar incrivelmente nivelados, decorrente disso nos deparamos com um conteúdo desses, ainda que pequeno ou pouco, de muita qualidade.

A direção de Phoebe Waller-Bridge toma um novo rumo ao se tratar de gêneros como este, pelo simples motivo de abordar as problemáticas de forma correta e objetiva sem muitas delongas, apenas indo ao ponto de forma sútil.

A jornada entre os capítulos acaba se transformando em uma viagem da qual você não quer voltar o que traz uma significância maior para a série.

Personagens construídos de modo quase que referencial, pois a personalidade única de cada um deles transforma a atmosfera dos capítulos. Contando com a atuação de nossas protagonistas Sandra Oh e Jodie Comer, o espectador recebe um verdadeiro show de interpretação com expressões surpreendentes e tocantes.


Os acontecimentos, tal como todo o suspense que desencadeia estas problemáticas da história são bem distribuídos, o que deixa claro o cuidado com o enredo e produção.

Há uma mistura de sentimentos ao apreciar algo deste calibre, pois envolvem muitas questões, principalmente para quem ama um drama e sabe aproveita-lo muito bem.

Killing Eve é sem dúvida alguma, uma série completa e merecedora de premiação, torna o telespectador parte da trama, o enlaça e envolve dentre os acontecimentos.

Leia mais!

Share Tweet Pin It +1

0 Comments